José Espinho e uma Rara Cadeira Icónica

BP 197 cópia copy (1)

 

Figura preponderante da Primeira Geração de Designers Portugueses, formado na Escola António Arroio, José Espinho (1917-1973) revelou, por volta de 1960, uma depurada e racionalista linguagem de Design que acertou o panorama do design português com o tempo internacional.

Projectista, desde 1950, de todo o mobiliário fornecido pela prestigiada firma Móveis Olaio, homem prático, de trabalho e de apurada consciência de designer, José Espinho visitou os grandes certames industriais escandinavos que actualizaram a sua formação.

Tal maturidade revelou-se com pujança, em 1960, quando, ao modelo fordista de matriz germânica de produção da Empresa, acresceu uma linguagem depurada e definitivamente acertada de inspiração nórdica, desde logo evidente na actualização dos materiais.

Stand Olaio, Anos 60, Linha Pratic

Stand Olaio, Anos 60, Linha Pratic

A faia clara fez a sua sensacional aparição no mercado português, proverbialmente conservador mas conhecedor também, então, de um optimista surto industrial que os Planos de Fomento propiciavam, a depuração estilística de inspiração nórdica, moderna, prática e racional, levava definitivamente à simplificação de linhas estruturais do novo mobiliário em madeira: José Espinho percebeu-o e desenhou a icónica Cadeira Pratic, de linhas simples e funcionais, excelente peça com estrutura de faia inglesa de cor clara e apoios de estrutura circular, generosamente estofada e revestida a confortável tecido.

Cadeira Pratic José Espinho

 

Da mesma data data a icónica cadeira Modelo Brasil, em undianuno preto, menos revolucionário, embora com estofos revestidos a napa clara.

Cadeirão Modelo Brasil

Cadeirão Modelo Brasil

 

Perfeitamente afim da icónica Cadeira Pratic é o presente modelo, de repouso, embora com uma estrutura prismática simples de recorte mais plástico ao nível dos braços.

Estaremos então, perante um protótipo ou uma edição em pequena série que, demasiada avançada e visionária para o meio conservador em virtude de o estofo do encosto traseiro se encontrar solto da estrutura de madeira das costas, funcionando apenas graças ao sólido apoio que a gravidade proporciona, terá conhecido escassíssima edição.

Cadeira Pratic

 

Marcas autorais como o original, simples e visual e estruturalmente plástico recorte quadrangular do remate, definindo um quadrilátero através de simples réguas lisas, afinam, notavelmente, com uma tradição de equilíbrio na arquitectura e no design portugueses que podemos, se o desejarmos, remontar à clareza funcional da arquitectura Portuguesa Chã ou Pombalina.

Estaremos, então, perante um Design que pela primeira vez em Portugal adquiriu identidade própria, tal como Daciano da Costa o fará em 1962 com as prestigiadas Linha Prestige e Cortez, de vastíssima produção, porém, no contexto cultural mais Moderno e actualizado.

Trata-se, portanto esta Cadeira, de uma Obra-Prima do Primeiro Design Português.

Rui Afonso santos

Curador de Arte e Design

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s